Uma das principais responsabilidades dos empreendedores é garantir que esteja tudo certo com as obrigações fiscais, certo? Isso inclui entender qual a diferença entre nota fiscal de entrada e nota fiscal de saída.

Neste post, você vai aprender como diferenciar cada uma dessas notas e qual a utilidade delas para a sua empresa. Vamos lá?

O que é nota fiscal de entrada?

A nota fiscal de entrada diz respeito ao que entra na sua empresa. Geralmente, são as notas dos produtos ou serviços que chegam dos fornecedores para você. Esses documentos trazem um registro valioso para a logística e a gestão do estoque da empresa.

A nossa legislação define alguns casos específicos para a emissão de nota fiscal de entrada. São eles:

  • devolução: o cliente não gostou do produto e decidiu devolvê-lo para o vendedor. Como o produto volta para o estoque e o cliente não pode emitir nota fiscal, quem emite é a empresa;
  • transporte: no caso da empresa que compra o produto assumir a responsabilidade de retirá-lo e transportá-lo;
  • exposição: no caso de o produto voltar de uma exibição em um museu ou galeria de arte, por exemplo;
  • leilão: no caso de o produto ser arrematado, principalmente em leilões;
  • nota fiscal não obrigatória: no caso de o vendedor não ter a obrigação de emitir nota fiscal;
  • retorno de industrialização: ou seja, quando o produto é industrializado ao passar pelas mãos de um autônomo;
  • importação: no caso do produto ser importado, o documento do país de origem pode não ter validade aqui no Brasil.
Powered by Rock Convert

O que é nota fiscal de saída?

A nota fiscal de saída diz respeito ao que sai da empresa. No caso, aos produtos vendidos para os clientes — esse tipo de nota fica com eles. As notas fiscais de saída são emitidas com mais frequência em negócios que atuam no varejo.

Esses documentos servem para garantir os direitos do consumidor, comprovando compras e sendo úteis no caso de devoluções. Além disso, reduzem a burocracia e o tempo do que era feito no antigo cupom fiscal.

Isso só é possível por que o documento é emitido de maneira eletrônica, reduzindo toda a burocracia do processo. Afinal, é mais fácil armazenar arquivos XML digitalmente do que um maço de documentos impressos. Esse tipo de arquivo conta com linguagens de marcação próprias, exigindo softwares específicos para leitura e conversão.

Lembre-se de que a nota fiscal relacionada aos produtos tem que ser emitida de maneira prévia. A nossa legislação não permite que mercadorias rodem pelo país sem documentação e registro.

Entender os usos da nota fiscal de entrada e saída, como você viu, é importantíssimo para lidar com as responsabilidades fiscais em compras, vendas, fornecimentos, devoluções e por aí vai.

Procure analisar bem a legislação e se manter atualizado sobre o assunto, garantindo que todas as emissões estão sendo feitas de acordo com a lei. Vários casos vão exigir notas específicas e um software de emissão pode otimizar o seu tempo nessa hora.

E você? Quer saber sobre quais vantagens você pode encontrar em um software de emissão de notas? Então, leia nosso artigo sobre as ferramentas do FreeNFe!

Powered by Rock Convert